main section

main content section

Gestão do espectro foi debatida na Telexpo pelas vertentes política, estratégica, social e econômica

15/03/2006 - Diário Anatel

Brasília, 14 de março de 2006 - O espectro de radiofrequência como um recurso escasso, limitado, único, oneroso e que representa um bem público que deve ser adequadamente administrado e usado de forma eficiente. Essa foi a abrangência temática do painel "Espectro - a Importância da Boa Gestão", coordenado pelo gerente-geral de Certificação e Engenharia de Espectro da Anatel, Francisco Carlos Giacomini Soares, na Telexpo 2006, realizada em São Paulo. Aspectos conceituais do uso eficiente do espectro pelas óticas política, estratégica, social, econômica e técnica, além de conceitos gerais que podem servir como orientação aos formadores de política, como neutralidade e flexibilidade tecnológicas, foram enfoques aportados pelos expositores ao tema, que despertou grande interesse naquele evento.

Participaram do painel o professor Luiz R. da Silva Mello, do Centro de Estudos em Telecomunicações (CETUC) da Pontifícia Universidade Catóica do Rio de Janeiro; Marlene Sabino Pontes, presidente da WiNGS Telecom; Emilio Loures, gerente de Programas de Tecnologia, Intel; e Martha Killian, diretora de Negóios da Spectrocan. Marlene Pontes apresentou indicadores para a avaliação da eficiência de uso do espectro em sistemas ponto-a-ponto, ponto-área e sistemas de radiodifusão, exemplificando soluç&ões técnicas e automatizadas para manutenção e monitoramento do espectro. Martha Killian falou sobre as responsabilidades do agente regulador para garantir o uso adequado, racional e eficiente do espectro.

Segundo o professor Silva Mello, torna-se essencial a discussão e desenvolvimento de conceitos, índices, ferramentas e regulamentação para avaliação da eficiência dos sistemas de telecomunicaç&ões, assim como do uso otimizado do espectro. Emilio Loures, da Intel, abordou o tema do ponto de vista da indústria, salientando a importância das definiç&ões, sobretudo no sentido de atender às demandas sociais e de mercado. Giacomini, por sua vez, destacou a importância da utilização eficiente do espectro de frequências, falando sobre a regulamentação que a Agência pretende editar ainda este ano com esse objetivo. O painel fez parte do fórum "Os caminhos da comunicação moderna no paradigma da mobilidade".